IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Histórico

Categorias

Bolsonaro toca bumbo sobre obras, mas investimento em infraestrutura cai

José Paulo Kupfer

18/11/2019 04h00

Reportagem da Folha, neste domingo (17), mostra que houve queda no investimento do governo federal em infraestrutura rodoviária, no acumulado de janeiro a outubro de 2019. O resultado decepcionante não corresponde à intensa propaganda do próprio presidente Jair Bolsonaro e de seu ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, em suas redes sociais.

Pelo menos uma vez por semana, segundo constatação da reportagem, Bolsonaro tem publicado fotos e vídeos de obras em estradas. Nessas publicações, o presidente louva a ação do Ministério da Infraestrutura, do Exército, que executa algumas dessas obras, e do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura).

O governo Bolsonaro aplicou, entre janeiro e outubro, R$ 5,4 bilhões em construção e recuperação de estradas. Esse total corresponde a menos da metade do investido em 2014. Em valores atualizados pela inflação, esse montante é o mais baixo dos últimos seis anos, incluindo o período de recessão, nos governo de Dilma Rousseff e Michel Temer.

Investimentos e, sobretudo, investimentos públicos são chave para uma recuperação sustentada da economia. Sem eles, medidas de impulso ao consumo são importantes para tirar a atividade econômica da letargia em que se encontra, mas seu fôlego tende a ser curto, esgotando-se com o fim do incentivo.

Desde o início da recessão, em 2014, o investimento, representado pela FBCF (formação bruta de capital fixo), em relação ao PIB (Produto Interno Bruto), tem exibido recuperação muito lenta. A taxa de investimento, no segundo trimestre de 2019, alcançou 15,9%, índice historicamente baixo e insuficiente para sustentar expansão econômica mais robusta. A FBCF relaciona os recursos aplicados em máquinas, equipamentos e processos produtivos, bem como na construção, civil e pesada. O volume de investimento ainda se encontra mais de 25% abaixo dos níveis do segundo trimestre de 2013.  

No roteiro de recuperação sustentada da economia, além da obtenção de uma taxa de investimento geral acima de 20%, o investimento público desempenha papel crucial. É dele que se espera o sinal mais poderoso para o investimento privado. Mas o investimento público se encontra nos níveis mais baixos da história econômica brasileira conhecida.

Em 2019, se tudo o que está previsto no orçamento for executado, o total do investimento público não passará de R$ 22,7 bilhões. Ainda assim, seria maior do que dos R$ 19,3 bilhões previstos para 2020. Esse montante representa algo como 0,3% do PIB, muito abaixo do 1,85% do PIB registrado em 2017, e muito abaixo dos 4% do PIB alcançado em 2013.

Sobre o Autor

Jornalista profissional desde 1967, foi repórter, redator e exerceu cargos de chefia, ao longo de uma carreira de mais de 50 anos, nas principais publicações de São Paulo e Rio de Janeiro. Eleito “Jornalista Econômico de 2015” pelo Conselho Regional de Economia de São Paulo/Ordem dos Economistas do Brasil, é graduado em economia pela FEA-USP e integra o Grupo de Conjuntura da Fipe-USP. É colunista de economia desde 1999, com passagens pelos jornais Gazeta Mercantil, Estado de S. Paulo e O Globo e sites NoMinimo, iG e Poder 360.

Sobre o Blog

Análises e contextualizações para entender o dia a dia da economia e das políticas econômicas, bem como seus impactos sobre o cotidiano das pessoas, sempre com um olhar independente, social e crítico. Finanças pessoais e outros temas de interesse geral fazem parte do pacote.

Blog do José Paulo Kupfer